Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram
Food InnovationÚltimas notícias Portal Food Innovation

Rei do Mate: 19 novas operações em território nacional

  • Written by:

Uma das maiores franquias de alimentação do país inicia o ano de 2022 focando na expansão e novidades

O Rei do Mate inicia o ano de 2022 com expansão mais fortalecida, fruto de um planejamento estruturado e que visa alavancar novos negócios em território nacional, sempre preservando o bom relacionamento com o cliente e prestando assessoria contínua aos franqueados pelo êxito do negócio.

Em 2021, o Rei do Mate abriu 19 lojas nas seguintes praças: Pernambuco – Shopping Patteo Olinda, Shopping Caruaru e Shopping Guararapes; Rio de Janeiro – Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), Clube de Regatas Flamengo, Shopping Nova Iguaçu e Praia dos Cavaleiros (Macaé);  Mato Grosso – Shopping Sinop; Santa Catarina – Norte Shopping Blumenau e Aeroporto Internacional de Navegantes; São Paulo – Boqueirão, em Praia Grande; Hospital Austa, em São José do Rio Preto; Hospital Unimed Bauru; Outlet Fernão Dias (Atibaia) e Aeroporto de Viracopos (Campinas), no interior de São Paulo; e Shopping Center 3, Hospital Israelita Albert Einstein, Shopping Trimais, CENESP, na cidade de São Paulo.

Além disso, ao longo da pandemia, o Rei do Mate enfrentou a crise econômica de frente, não demitiu os seus colaboradores e manteve um planejamento sólido com vistas ao futuro do negócio com a mesma garra apresentada ao longo da trajetória de 43 anos de mercado, sendo 30 deles como franquia.

Antonio Carlos Nasraui, CEO do Rei do Mate, faz um breve balanço de 2021: “Oferecemos novas oportunidades aos franqueados e ampliamos nossas operações”, diz.

Ainda de acordo com o CEO, o Rei do Mate prevê a abertura de novas lojas no primeiro semestre de 2022: Shopping Jacarepaguá, Bradesco Seguros e Smart Shopping, na cidade do Rio de Janeiro; em Cabo Frio, RJ; na Casa Einstein, na cidade de São Paulo; Lorena Mall, interior de São Paulo; e no Hospital São Domingos, no estado do Maranhão.

Nespresso traz ao Brasil a linha de Edição Limitada Barista Creations For Ice

  • Written by:

Marca traz de volta ao país a linha de cafés para serem consumidos com gelo e apresenta um novo café com aroma de coco, que aliado ao Freddo Delicato e Freddo Intenso, traz ao consumidor uma verdadeira experiência refrescante durante a alta temporada

Inspirados na expertise dos melhores baristas do mundo, a Nespresso, líder em cafés porcionados de alta qualidade sustentável, traz de volta ao Brasil sua linha de cafés para serem consumidos com gelo. A Edição Limitada Barista Creations For Ice vem com o lançamento Coconut Flavour que, aliado aos sabores Freddo Delicato e Freddo Intenso, une refrescância e sabor em uma única bebida. Além disso, a marca inova e apresenta também Ice Intenso, novo café de Nespresso Professional, voltada a bares, restaurantes, hotéis, cafeterias, escritórios, que chega pela primeira vez ao país e confere uma harmonia perfeita entre o café e o gelo para o verão brasileiro.

 

Desenvolvida especificamente para que o café possa atingir todo o seu potencial quando resfriado ou extraído sobre o gelo, a Edição Limitada Barista Creations For Ice é o investimento da marca na união de duas experiências inconfundíveis ao paladar brasileiro para a alta temporada do verão 2022: o sabor do café e o frescor de uma bebida gelada em um dia quente. “Com a Edição Limitada Barista Creations For Ice, voltada para o consumidor final, e a linha Ice, para o segmento profissional, queremos transportar o nosso público para uma experiência Nespresso de verão, além de inspirá-lo para um olhar, ou melhor, uma apreciação diferente. Essa é uma tendência de consumo divertida que tem tudo a ver com o brasileiro. Acreditamos no potencial do consumo com gelo em um mercado tão apaixonado pelo calor e pelo café como o Brasil”, ressalta Monica Lopes, Diretora de Marketing da Nespresso Brasil.

Edição Limitada Barista Creations For Ice

Especificamente criados para entregar todo o sabor dos cafés Nespresso quando mistura com gelo, a linha de Edição Limitada Barista Creations For Ice oferece não apenas uma bebida refrescante e saborosa, mas também uma experiência única para os amantes de café. A grande novidade para o verão 2022 é o Coconut Flavour, que leva o aroma do coco, e se equilibra perfeitamente com as notas torradas e carameladas do café espresso à base de arábicas da América Latina. Com um toque de baunilha, esse café é o ideal para ser tomado gelado. Para uma experiência ainda mais refrescante, coloque 4 de pedras de gelo em um copo de receita, adicione 90ml de água ou leite gelado e extraia o café na medida espresso (40ml).

As notas frutadas de café queniano e indonésio da variedade arábica imprimem frescor ao Freddo Delicato. Este café levemente torrado foi elaborado para entregar delicadeza no sabor com suas notas frutadas quando extraído sobre o gelo, uma boa opção para dias quentes energizados. Em contrapartida, a versão Freddo Intenso conta com toda a potência de grãos arábica do Peru e da Indonésia. Quando harmonizado com gelo, apresenta sabor intenso com notas amadeiradas e de cereal torrado e final encorpado, o acompanhamento perfeito para uma tarde de verão. As duas combinações levam o consumidor a se sentir um barista.

Edição Limitada da linha Creations Ice Intenso – Nespresso Professional

A mistura de Arábica do Peru e da Indonésia, que trazem um belo equilíbrio entre notas de cereais tostados, amadeirados e o clássico sabor amargo de uma torra escura compõe o Ice Intenso, novo café de Edição Limitada da linha Creations de Nespresso Professional que chega pela primeira vez ao Brasil. Voltado exclusivamente para o segmento de bares, restaurantes, hotéis, cafeterias, escritórios e empresas de catering, o café que foi desenvolvido para ser consumido gelado, com ou sem leite, traz uma nova experiência para os consumidores, além de agitar o setor.

“Com o lançamento da Edição Limitada Ice Intenso, nós da Nespresso Professional, demos um importante passo para o setor. Entendemos que não existe apenas uma maneira de beber café, por isso investimos constantemente em pesquisa e inovação no desenvolvimento de soluções que antecipem tendências e atendam às necessidades de nossos consumidores mais exigentes, e Ice Intenso é um exemplo disso. A novidade vai muito além de um café comum, seguimos com a proposta de oferecer uma nova experiência de consumo não apenas ao público como também ao setor de escritórios, hotéis, bares, restaurantes e cafeteria”, explica Adriana Vieira, Diretora de Nespresso Professional Brasil.

Sustentabilidade: Um compromisso do grão à xícara

Como parte de um dos pilares mais importantes para a marca, 100% das fazendas fornecedoras para a empresa no Brasil fazem parte do Programa Nespresso AAA de Qualidade Sustentável™️, desenvolvido em 2003 em parceria com a Rainforest Alliance e o Imaflora, para fornecer aos produtores, conhecimentos e técnicas que os apoiassem na produção de um café de alta qualidade, utilizando práticas sustentáveis e também contribuindo para sua qualidade de vida.

Atualmente, mais de 110 mil fazendas parceiras em 17 países são auxiliadas por mais de 450 agrônomos, que os ajudam a cultivar o café de forma ambiental, social e economicamente sustentável. Para fechar a cadeia, todas as cápsulas Nespresso são 100% recicláveis. Atualmente, a companhia possui 200 pontos de coleta espalhados pelo Brasil.

Supermercados nos EUA enfrentam desabastecimento com Ômicron e crise climática

  • Written by:

Problemas em transporte doméstico e mudança de hábitos alimentares também justificam prateleiras vazias em grandes cadeias

As prateleiras de supermercados em todo os Estados Unidos estão e permanecem vazias, uma vez que lojas lutam para reabastecer rapidamente produtos de necessidade diária, como leite, pão, carne, sopas enlatadas e produtos de limpeza.

Consumidores descontaram sua frustração nas mídias sociais nos últimos dias, postando fotos no Twitter de prateleiras vazias nas lojas Trader Joe, Giant Foods e Publix, entre outras.

Depois de enfrentar dois anos de pandemia e problemas relacionados à cadeia de suprimentos, os supermercados ainda não estão tendo o descanso que esperavam. Agora, enfrentam uma série de outros contratempos.

O golpe devastador de Omicron

À medida que a variante altamente contagiosa da Covid-19 continua a adoecer trabalhadores, uma escassez de força de trabalho em funções críticas, como transporte e logística, está se intensificando. A crise nos setores, por sua vez, afeta a entrega de produtos e o reabastecimento de prateleiras em todo o país.

O CEO da empresa de supermercados Albertsons, Vivek Sankaran, reconheceu que os produtos estão em falta durante teleconferência de resultados da empresa com analistas na última terça-feira.

“Acho que, como um negócio, todos nós aprendemos a gerenciá-lo. Todos nós aprendemos a ter certeza de que as lojas ainda são muito apresentáveis e a dar aos consumidores o máximo de escolha possível”, disse Sankaran durante a teleconferência.

Mesmo assim, acrescentou, a Omicron atrapalha esforços em melhorar lacunas da cadeia de suprimentos. “Esperamos mais desafios de fornecimento nas próximas semanas”, disse Sankaran.

As mercearias estão operando com menos da força de trabalho normal, de acordo com a National Grocers Association, e muitos de seus membros têm menos de 50% da força de trabalho normal.

“Embora haja abundância de alimentos na cadeia de suprimentos, prevemos que os consumidores continuarão a experimentar interrupções esporádicas em certas categorias de produtos, como vimos no último ano, devido aos desafios em fornecimento contínuo e questões trabalhistas”, disse Greg Ferrara, o presidente da associação.

A escassez de mão de obra continua pressionando todas as áreas da indústria alimentícia, disse Phil Lempert, analista do setor e editor do site SuperMarketGuru.

“De fazendas e fabricantes de alimentos a mercearias, a escassez é geral”, disse Lempert. “Durante a pandemia, essas operações tiveram que implementar protocolos de distanciamento social para os quais não foram preparadas e isso afetou a produção”.

À medida que a pandemia continua, muitos trabalhadores da indústria de alimentos optam por não retornar aos seus empregos com salários baixos.

Problemas de transporte

A escassez contínua de caminhoneiros continua a desacelerar a cadeia de suprimentos e a capacidade dos supermercados de reabastecer suas prateleiras rapidamente.

“A indústria de caminhões tem uma mão de obra envelhecida, além de escassa”, disse Lempert. “Foi realmente um problema nos últimos anos.”

Além de problemas de transporte doméstico generalizados, o nível recorde de congestionamento nos portos do país também atravanca a distribuição. “Ambos os desafios estão trabalhando em conjunto para criar escassez”, disse ele.

Problemas climáticos

Nas lojas Trader Joe’s, consumidores no fim de semana viram mensagens presas a prateleiras vazias que culpavam crises climáticas por atrasos nas entregas.

Grande parte do Centro-Oeste e Nordeste dos EUA tem enfrentado, recentemente, condições climáticas e de deslocamento severas. Não apenas as pessoas estão estocando mais mantimentos, mas o nível de alta demanda, juntamente com os desafios de transporte, está dificultando o transporte de mercadorias em condições climáticas adversas, resultando em mais escassez, disse Lempert.

Isso sem mencionar as mudanças climáticas, que são uma ameaça séria e de longo prazo para o fornecimento de alimentos. “Incêndios e secas estão prejudicando lavouras como trigo, milho e soja nos Estados Unidos e café no Brasil”, disse ele. “Não podemos ignorá-los.”

Pandemia mudou nossos hábitos alimentares

Muitos passaram a cozinhar e a comer em casa durante a pandemia , o que também está contribuindo para a escassez de suprimentos de supermercado, disse Lempert.

“Não queremos continuar comendo a mesma coisa e estamos tentando variar a comida caseira. Ao fazer isso, estamos comprando ainda mais produtos alimentícios”, disse ele. A escassez também tornou a compra de alimentos cada vez mais cara até 2022.

Os supermercados certamente estão cientes das prateleiras vazias, disse Lempert, e estão tentando mitigar as compras de pânico, o que só piora a situação.

Uma estratégia: Divulgar os produtos. Eles estão fazendo isso lançando variedades limitadas e quantidades limitadas de cada produto na tentativa de evitar o acúmulo e aumentar seus suprimentos entre as entregas.

“Pré-pandemia, você pode ter visto cinco variedades diferentes de leite na primeira fila e 10 caixas de profundidade. Agora serão cinco de largura e talvez duas filas de profundidade”, disse Lempert.

 

 

 

Fonte: CNN 13.01.2022

Saint Peters quer aumentar o consumo consciente de tilápia

  • Written by:

O nome Saint Peters já é conhecido por muitos brasileiros e facilmente confundido como uma variedade de peixes.

Isso porque a marca, pertencente ao grupo GeneSeas, é sinônimo de excelência e está presente nas melhores redes de supermercados. Para a empresa, porém, este é apenas o começo. A missão da GeneSeas é ampliar o consumo de pescados no país, oferecendo um produto versátil, democrático e de qualidade, sem perder de vista a redução do impacto ambiental através da aquacultura responsável.

A Saint Peters nasceu a partir de um profundo estudo de viabilidade técnica e econômica das espécies que poderiam ser criadas no país. A partir disso, a GeneSeas montou uma estrutura de produção com atuação em todos os elos da cadeia, partindo da produção de ração, passando pela piscicultura, beneficiamento e distribuição nos mercados nacionais e internacionais. Neste processo, a GeneSeas conseguiu garantir que, depois de abatida, a tilápia fosse embalada e congelada de forma que as propriedades nutricionais e o frescor do peixe permanecessem intactos.

O resultado foi a criação de uma linha composta por diversos produtos congelados e resfriados, vendidos em embalagens de 450 e 250 gramas, em duas opções: à vácuo e com zip, o que facilita o armazenamento em refrigeradores domésticos. Da mesma forma, a comercialização do peixe já limpo e filetado oferece aos brasileiros uma alternativa de proteína, para além da carne e frango, que pode ser mais prática e saudável para o dia a dia.

Apesar desta linha de produção dinâmica, a GeneSeas mantém o bem-estar animal como pauta em todos os aspectos do trabalho. Tanto manejos, quanto a reprodução são controlados para que não haja contato excessivo entre homem-peixe, todos os recursos hídricos são usados e preservados de forma responsável e todos os fornecedores e parceiros são incentivados à criação de tilápia de maneira sustentável, através do uso consciente dos recursos naturais e de medicamentos, caminhando para seu uso zero.

 

 

 

 

 

Fonte: Canal Executivo 12.01.2022

Pantera Alimentos reposiciona sua marca

  • Written by:

Linhas de arroz, feijão e farinha terão o nome Prime e o selo padrão Pantera nas embalagens

A Pantera Alimentos, empresa do setor de alimentos com linhas de arroz, feijão e farinhas reposiciona a Pantera Qualidade Premium no mercado, sem mudança de preço, e cria uma nova categoria no setor de commodities (produtos de origem agropecuária ou de extração mineral), a Pantera Prime.

“Nosso objetivo é cada vez mais oferecer um produto completamente único na categoria, isso é Pantera. Diferenciação, inovação, respeito e muito amor em cada pacotinho dos nossos produtos. Tudo isso faz parte do nosso DNA, somos diferentes”, relata Vitor Luccats diretor geral da Pantera Alimentos.

A partir dessa semana os consumidores também encontrarão o selo Padrão Pantera – Peneira 12 nas embalagens do Feijão Carioca Prime Pantera “em resumo, o Prime é o melhor que nós, como empresa, podemos oferecer aos nossos consumidores, e eles merecem todo o nosso respeito e amor, em um produto extremamente saudável, nutritivo e o único literalmente com o selo de qualidade Padrão Pantera”, revela Luccats.

Com o objetivo de expandir para todo o Estado de São Paulo, a marca também trouxe Fernando Rodrigues para o time como Diretor Comercial. Com mais de 14 anos de experiência no ramo de alimentos, Fernando já foi responsável pela implementação de algumas marcas pelo interior de São Paulo e nos últimos 6 meses passou a comandar todo o time de representantes e vendedores da Pantera Alimentos. Mesmo com pouco tempo de trabalho como Diretor Comercial, Fernando Rodrigues já reposicionou a marca de 12º lugar para o 5º de Market Share de Feijão Carioca no Interior de São Paulo.

Sustentabilidade

A empresa está investindo em novos maquinários e garantindo pelo menos 22% de reciclagem das embalagens com a incorporação do selo “Eu Reciclo”. Além de capital humano, em conhecimento, em tecnologias de inteligência de mercado e marketing.

“Levantamos com muito orgulho a bandeira de ter um Feijão Carioca Orgânico, que vem de uma agricultura 100% regenerativa orgânica, uma plantação que ajuda o meio ambiente retirando cerca de duas toneladas de gás carbônico da atmosfera, reduzindo o efeito estufa, livre de agrotóxicos, com preços completamente diferentes, pois também levantamos a bandeira da democratização dos produtos orgânicos”, conclui Vitor.

 

 

Fonte: Super Varejo 11.01.2022

VITATea é o mais novo lançamento da Vitafor

  • Written by:

O produto inaugura a categoria de chás da marca referência em suplementos

A Vitafor, marca especializada em suplementos nutricionais, traz uma super novidade ao mercado, seu primeiro chá: o VITATea.

O produto que acaba de chegar ao mercado, busca fornecer mais saúde e disposição na rotina dos consumidores.

De acordo com pesquisa realizada este ano pela Euromonitor International, o consumo de chás no Brasil cresceu 25% entre 2013 e 2020. Em busca de alternativas mais saudáveis, VITATea entra no mercado para fortalecer e ampliar o consumo da bebida.

Formulado com laranja amarga, chá verde, gengibre, canela e cúrcuma, o produto pode ser ingerido quente ou frio, a qualquer hora ou lugar já que não precisa de infusão, por conta da sua apresentação em sachês que facilita o consumo. Além de não conter açúcar na composição tem apenas 4 calorias por porção.

“Este é o primeiro lançamento da Vitafor no mercado de chás, estamos muito felizes com a novidade! A expectativa é que o VITATea faça parte do dia a dia das pessoas, que prezam pela praticidade, saúde e bem-estar”, conta Debora Dutra, Diretora de Marketing da Vitafor.

7 motivos para a adoção de bioestimulantes por produtores de frutas e vegetais

  • Written by:

A demanda por bioestimulantes está crescendo rapidamente, estimulada em parte pela tendência de bem-estar e produtos orgânicos que os consumidores vêm seguindo, em conjunto com as crescentes preocupações ambientais.

Bioestimulantes contêm substâncias orgânicas como ácido húmico, vitaminas, hormônios e microrganismos, que estimulam processos naturais para melhorar a qualidade da plantação. Quando aplicados em plantas ou na rizosfera, os bioestimulantes impulsionam a eficiência dos nutrientes, resultando num maior crescimento da raiz, maior capacidade de detenção de água e atividade microbiana melhorada.

“O aumento populacional é outro fator que está voltando as atenções para os bioestimulantes”, diz Denis Fugate, Gerente de Indústria da Prática de Agricultura e Pesticidas Especiais da Kline. Espera-se que a população mundial atinja 9,7 bilhões de pessoas em 2050, em contraste com os 7,3 bilhões registrados em 2015 – sendo a demanda por comida prevista para aumentar de 59% a 89% até 2050. “Espera-se que os bioestimulantes desempenhem um papel essencial no aumento sustentável e significativo no rendimento das culturas agrícolas”

A seguir, listamos sete razões do porquê produtores de frutas e vegetais estão optando por bioestimulantes:

1. Qualidade Consistente

A produção agrícola é uma proposta cara, especialmente para culturas que exigem irrigação e estaqueamento. Alinhado com a alta demanda dos consumidores por produtos sem defeitos, há pouca margem para erro. Assim, produtores estão cada vez mais procurando por produtos que ajudem na entrega de resultados consistentemente superiores. Isso tudo está gerando demanda pelos bioestimulantes, que podem aumentar a qualidade das produções e aprimorar a validade, cor e formatos das frutas e dos vegetais.

2. Produção Livre de Resíduos

O Environmental Working Group (EWG) publica o “Dirty Dozen” (“Os Doze Sujos”, m tradução livre), uma lista de frutas e vegetais que possuem as maiores quantidades de resíduos de pesticidas – e que representam maior perigo para os consumidores – quando são comprados como produtos convencionais. A edição de 2021 afirma que quase 70% dos produtos não orgânicos vendidos nos Estados Unidos contêm resíduos de pesticidas, com mais de 90% das amostras com resultado positivo para resíduos de dois ou mais pesticidas.

A pressão para produzir vegetais sem resíduos está levando os produtores a buscarem por alternativas acessíveis e que proporcionem a máxima flexibilidade no que diz respeito ao controle de doenças e insetos nocivos. Os bioestimulantes aumentam a resistência das plantas a estresses abióticos, aumentando assim a saúde geral das plantas e proporcionando uma oportunidade para reduzir ou eliminar a quantidade de pesticidas utilizados.

3. Mudança das Práticas de Cultivo

Na Califórnia, por exemplo, patógenos de difícil controle e o desenvolvimento de resistência foram exacerbados pela instalação de linhas de gotejamento para as produções de vários anos. Isso permite que os produtos sejam cultivados com maior frequência. Por enquanto, 95% dos tomates processados são transplantados, o que geralmente aumenta a chance de ocorrerem infestações de nematoides. Alterar as práticas de cultivo geralmente resulta em infestações de solo ainda mais graves. Nesse sentido, os bioestimulantes podem melhorar o crescimento e vigor das raízes e suprimir patógenos, oferecendo uma alternativa ao uso de fumigantes e pesticidas aplicados no solo.

4. Mudança nas Regulações

Regulamentos recentes limitaram o uso de fumigantes. Em vez disso, os produtores estão sendo incentivados a adotar programas que suprimem doenças transmitidas pelo solo e por nematoides usando suplementos de solo que aumentam o crescimento das raízes. Como resultado, os produtores estão cada vez mais optando pela utilização de biopesticidas para controlar os patógenos das plantas e melhorar os próprios sistemas de defesa da planta cultivada.

5. Dados de Desempenho Sólidos e Etiquetas de Som

Os fornecedores de bioestimulantes podem fornecer dados suficientes e recomendações precisas para permitir que os produtores usem esses produtos com sucesso. Em contraste, a rotulagem de produtos convencionais mostrou não ser consistentemente precisa (por exemplo, amplitude de culturas apoiadas) ou apoiada por dados (por exemplo, declarações de rendimento).

6. Custo

O custo dos ingredientes está atingindo níveis tais que seu uso está se tornando cada vez mais inacessível. Os custos dos fertilizantes estão em alta. Nesse cenário, os bioestimulantes podem melhorar a eficiência das aplicações dos fertilizantes. A verdadeira análise, no entanto, deve incluir o custo total da aplicação, pois muitos produtos exigem várias aplicações para atingirem sua eficácia.

7. Público Receptivo

Os produtores de frutas e vegetais tendem a fazer grandes investimentos de longo prazo em suas fazendas, e suas plantações são altamente perecíveis. Assim, os produtores são particularmente receptivos para com os aspectos positivos dos bioestimulantes, como melhora na saúde das plantas, desenvolvimento de resistência a insetos e a doenças, maior tolerância à seca e maiores rendimentos.

 

 

 

 

Fonte: Blog Factor-Kline 13.01.2022

Nescau e Boomera transformam sachês pós-consumo em itens esportivos

  • Written by:

Com foco na circularidade das embalagens, um dos pilares da Nestlé em Sustentabilidade, NESCAU transformou embalagens de sachês de seus produtos em itens esportivos circulares como traves de futebol, cestas de basquete e postes de vôlei.

Em um projeto que une inovação e sustentabilidade e amparado pelo guarda-chuva da iniciativa RE, de Nestlé, que propõe repensar todas as operações da companhia, a marca desenvolveu a ação após um edital global para reciclar as embalagens dos sachês reforçando a importância da circularidade dos produtos.

Para isso, buscou a parceria com a Boomera, empresa brasileira de Economia Circular que une ciência com consciência para transformar resíduos em matéria prima reciclada, para transformar as embalagens flexíveis em itens esportivos após desenvolver um PCR (resina pós-consumo) próprio para a execução do projeto. Os produtos foram doados para a ONG Bairro Da Juventude, que fica em Criciúma, no Estado de Santa Catarina.

Entre os beneficiados, estão também as catadoras e catadores de material reciclável das cooperativas homologadas pela Boomera envolvidas no projeto, que foram essenciais para que duas toneladas de materiais flexíveis deixassem de ir para o aterro e ganhassem uma nova vida. Com isso as cooperativas conseguiram melhorar suas rendas a partir da venda desses resíduos para a realização do projeto.

“Com essa ação, nós buscamos completar o ciclo da circularidade, transformando algumas de nossas embalagens em novos produtos e ainda contribuindo para um trabalho tão importante que é o da reciclagem de materiais. O projeto trouxe um impacto ambiental importante, mas também um grande impacto social para a comunidade”, comenta Cristiani Vieira, gerente de Sustentabilidade Ambiental da Nestlé.

A coleta dos sachês usados durou cinco meses e envolveu 10 cooperativas de reciclagem. Já o processo de transformação e desenvolvimento da resina pela Boomera até a finalização da produção dos itens esportivos foi realizado em mais cinco meses, considerando todos os testes necessários para garantir a performance dos produtos.

Para Abner Bezerra, gerente de Marketing de Nescau e Bebidas da Nestlé, o projeto está em linha com o objetivo da marca, “Transformar nossas embalagens em produtos esportivos faz com que a marca siga investindo e apoiando a prática de esportes”. Queremos jogar junto com nossos parceiros, com a sociedade, com as crianças e com as famílias e ainda cuidar do planeta”

“Trabalhar unindo ciência com consciência é gerar impactos sociais e ambientais e esse projeto representa isso do começo ao fim. A Boomera transformou embalagens flexíveis, complexas de serem recicladas, em produtos com causa que incentivam o esporte na comunidade. Esse projeto da Boomera e Nescau reflete o propósito das duas marcas”, explica Guilherme Brammer, CEO da Boomera.

A Boomera possui um laboratório de engenharia de materiais para desenvolver resinas recicladas de qualidade e descobrir novas aplicações para diversos tipos de materiais, até os mais difíceis de serem reciclados. Já foram inseridas mais de 131 mil toneladas de lixo plástico na sua cadeia circular e a companhia possui duas fábricas com operação verticalizada para produzir matéria-prima reciclada e produtos circulares em larga escala. “Acreditamos  que as cooperativas possuem um papel importante na logística reversa e beneficiamento de resíduos no Brasil, promovendo a inclusão social e impacto ambiental positivo. Por  isso,  trabalhamos para aumentar a resiliência das cooperativas alavancando três indicadores principais: eficiência produtiva, renda média dos trabalhadores, além de saúde e segurança do trabalho. A Boomera se utiliza de metodologia própria, reconhecida mundialmente por promover um processo de melhoria contínua nas cooperativas.

Com isso, já desenvolvemos parcerias com mais de 500 cooperativas e beneficiamos mais de 8 mil cooperados, unindo ciência com consciência para colocar a economia circular em prática e achar soluções sustentáveis para as empresas que estão em busca de dar um destino melhor para suas embalagens”, finaliza o executivo.

 

 

Fonte: Distribuição 12.01.2022

Carne produzida em laboratório pode estar na sua mesa nos próximos anos

  • Written by:

Desenvolvida à base de células animais, a proteína cultivada é uma alternativa revolucionária para reduzir o impacto ambiental da produção de alimentos

 

 

 

Fonte: Exame 12.01.2022

Amazon e Starbucks se unem em uma loja conjunta em NY

  • Written by:

Unindo tecnologia Amazon e design Starbucks, a conectividade e praticidade traz o melhor das duas marcas para clientes de Nova York

Se você estiver passando pela 59th Street, em Nova York, entre as avenidas Park e Lexington, logo se depara com uma novidade. Desde meados de novembro de 2021, a Starbucks se juntou a Amazon para criar uma loja cheia de praticidade e conveniência. Nas palavras de Dilip Kumar, vice-presidente de varejo físico e tecnologia da Amazon, “à maneira como os clientes desejam viver o dia”.

O estabelecimento é uma parte Starbucks, uma parte Amazon Go, uma união que cria uma experiência descomplicada de checkout para seus clientes. Mas, como já é de costume, os baristas e atendentes da Starbucks estão lá para pegar seu pedido e realizar o atendimento, caso você queira pagar com dinheiro ou cartão de crédito.

A loja também conta com um lounge modernizado que possui espaços de trabalho individuais e mesas expandidas com tomadas elétricas e portas USB. Se bater a fome, basta acessar a aérea da Amazon GO Store munido de seu celular e app da marca e aproveitar o espaço cheio de sanduíches, bebidas e outros lanches. O sistema de compras baseado em Inteligência Artificial (IA) faz o restante. Ele mantém o controle sobre a loja com câmeras e outros sensores, permitindo que os consumidores tirem qualquer coisa da prateleira. Se não estiver com o celular, tudo bem, os itens também podem ser comprados em dinheiro ou cartão mediante solicitação de um barista.

Pesquisa com clientes para unir o melhor dos mundos

A Starbucks informa que faz um trabalho de pesquisa com o público consumidor no qual revela que este modelo está sendo muito bem aceito. A empresa planeja abrir pelo menos mais duas unidades em Nova York ainda este ano.

Sem dúvida as marcas unem o melhor dos mundos para seus clientes: a Starbucks com suas bebidas à base de café, seu ambiente convidativo, um aplicativo de pedidos e programa de fidelidade. Enquanto a Amazon elimina filas com a experiência de sua loja pickup por meio da tecnologia Amazon Go. E como pano de fundo você tem a cidade de Nova York sendo um lugar onde a experiência de consumo é seu principal cartão postal.

 

 

Fonte: Consumidor Moderno 10.01.2022

Rodapé