Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On LinkedinVisit Us On Instagram
Food InnovationDestaques Empresas & NegóciosTempos de semear ideias: nutrição holística é megatendência

Tempos de semear ideias: nutrição holística é megatendência

  • Written by:

Plataforma de insights de consumidores exclusiva da ADM aponta oito oportunidades para a indústria de alimentos e bebidas em 2022

Por Estela Mendonça

Durante a pandemia do covid-19, os consumidores passaram a dar mais importância em conhecer a procedência dos alimentos, tentando garantir não só sua saúde e segurança, como também de todos que estão ao seu redor. Além disso, a preocupação se estendeu para o quanto a alimentação pode impactar em sua saúde física e bem-estar emocional.

“Essa nova preocupação vem acompanhada de uma abordagem mais holística sobre a nutrição, impulsionando o consumo de produtos funcionais que agreguem outros benefícios para o consumidor, como energia, imunidade, entre outros”, analisa Rodrigo Setti, gerente de negócios Botânicos da ADM na América Latina.

Rodrigo Setti, gerente de negócios Botânicos da ADM na América Latina

“Nutrição para o corpo e para a mente” e “Fornecedores transparentes e clean label” são duas das oito tendências gerais de consumo levantadas pela Outside VoiceSM, uma plataforma de insights de consumidores exclusiva da ADM, que utilizou como base inúmeras pesquisas externas e proprietárias, revelando importantes espaços de crescimento para as indústrias do setor em 2022.

Entre os dados levantados pela ADM que reforçam essas tendências, 72% dos brasileiros estão atualmente mais interessados em seu autocuidado mental e físico, 54% começaram a tomar providências para apoiar a saúde mental em resposta à pandemia do Covid-19, 75% alegam que querem ficar mais alertas e com a mente limpa e 79% querem ser capazes de lidar com o estresse.

Para Setti, o estresse e as incertezas gerados pela pandemia serviram como um ponto de alerta para o cuidado com a saúde mental.  “Essa abordagem holística da nutrição levou as pessoas a buscarem novos produtos que, não só contribuam com a saúde do seu corpo, mas também com a imunidade e o bem-estar em geral” reforça Setti. “Nossa criatividade, expertise sensorial e técnica somado ao vasto portfólio de ingredientes, capacitam a ADM a desenvolver soluções alinhadas aos desejos mais recentes dos consumidores finais”.

Extratos botânicos como fontes de energia e imunidade

Para ampliar seu portfólio de soluções, a ADM agregou recentemente uma extensa gama de extratos botânicos feitos a partir de plantas, frutas e vegetais brasileiros, que podem ser aplicados em alimentos e bebidas. Setti ressalta que agora, mais do que nunca, são valorizados produtos de origem natural, com rótulos simples, ingredientes regionais e que contribuam com a saúde dos consumidores, sendo fontes de energia natural, vitaminas e minerais e que promovam efeitos antioxidantes no organismo.

No quesito imunidade, a acerola é um bom exemplo de fonte riquíssima de vitamina C, pois aumenta a produção de glóbulos brancos, que fazem parte do sistema imunológico com a função de combater estruturas estranhas ao corpo, como vírus e bactérias. “As soluções concentradas de acerola em pó da ADM são de origem natural, possuem um teor de vitamina C de 17% em sua composição e são apoiadas por evidências científicas de sua funcionalidade, auxiliando na formulação de um produto que atenda a essa demanda do consumidor por alimentos e bebidas que apoiem a saúde física e mental.”.

Outra fonte natural de vitamina C é o camu-camu, fruta originária da Amazônia pouco conhecida e explorada no mercado. O camu-camu é ainda mais rico em vitamina C do que a acerola e pode ser um ótimo ingrediente para colorir naturalmente o produto final, além de ser uma fruta 100% regional. Existem outros ingredientes que podem auxiliar ainda mais no fortalecimento do sistema imunológico, acentuando também o efeito da vitamina C no corpo humano. O açaí e a erva-mate, por exemplo, têm propriedades antioxidantes no nosso organismo que auxiliam na absorção de vitaminas, minerais e ajudam a manter a saúde em dia, evitando gripes e resfriados.

O portfólio da ADM também oferece extratos botânicos que adicionam potencial energético aos produtos. O guaraná, por exemplo, é um dos ingredientes sul-americanos mais conhecidos no mundo como aporte de energia natural, de benefícios antioxidantes e de outras vitaminas e nutrientes. “O extrato botânico em pó de guaraná da ADM é perfeito para desenvolver bebidas, snacks funcionais, chocolates saudáveis e suplementos nutricionais”, recomenda Setti, lembrando que ele também é uma fonte natural de cafeína, responsável pelo efeito estimulante e cognitivo.

“A abordagem holística da nutrição está muito associada à como o consumidor enxerga determinado produto. As soluções de extratos botânicos da ADM auxiliam no desenvolvimento de alimentos e bebidas mais atrativos no mercado, com rótulos limpos, ingredientes conhecidos e que de alguma forma ajude o consumidor nessa sua nova busca pela saudabilidade”, finaliza Rodrigo.

As soluções de extratos botânicos da ADM são produzidas na fábrica em Colombo (PR), por meio de um processo que transforma o ingrediente em pó (spray drying), o que facilita a sua aplicação, contribui com o shelf-life e conserva suas propriedades após o processamento.

Plant-based se torna mainstream

Cada vez mais, as pessoas estão adotando o “estilo de vida com alimentos de origem vegetal”, a segunda tendência detectada. Para atender essa demanda, a ADM oferece as soluções meat & dairy alternatives, com destaque para a linha de leite de coco em pó. “São versáteis e aportam sabor e textura para diversas aplicações em bebidas, chocolates, sorvetes e iogurtes. Veganos, ideais para substituir produtos análogos a leites, inclusive orgânicos, sem lactose e demais opções Plant-based. Além disso, não possuem ingredientes não declarados que conferem cor, dulçor ou solubilidade não característicos de um leite de coco puro”, comenta Rodrigo.

Oito tendências de consumo para 2022 listadas pela ADM

Conheça abaixo as oito tendências gerais de consumo detectadas pela plataforma Outside VoiceSM. “As oito principais tendências para 2022 apresentadas refletem as grandes preocupações dos consumidores, com a saúde deles próprios, do meio ambiente e de seus animais de estimação. Os setores de nutrição humana e animal precisam focar em soluções para amenizar essas preocupações, e muitas marcas já estão desenvolvendo novos produtos para atender às necessidades em evolução dos consumidores”, afirma Gonzalo Rodriguez, vice-presidente Global Marketing das áreas de nutrição animal e humana da ADM.

Gonzalo Rodriguez, vice-presidente Global Marketing das áreas de nutrição animal e humana da ADM

1. Nutrição para o corpo e para a mente

Os consumidores desejam ser mais proativos em relação à mente e ao corpo por meio de uma abordagem equilibrada à dieta e ao estilo de vida. Embora seja uma tendência de longo prazo, a recente pandemia global trouxe um interesse renovado ao bem-estar mental, com muitas pessoas procurando formas mais eficazes de lidar com o estresse e a ansiedade. A nutrição saudável é uma das formas que os consumidores usam para promover seu bem-estar holístico. A Outside VoiceSM constatou que 57% dos brasileiros regularmente tomam medidas para apoiar sua saúde mental.

2. Estilos de vida com alimentos de origem vegetal

Uma abordagem flexitariana à alimentação é a tendência atual, uma vez que os consumidores buscam uma nutrição funcional, saudável e de origem vegetal para promover estilos de vida saudáveis e ecologicamente corretos. De fato, a expectativa é a de que as proteínas alternativas representarão muito provavelmente 11% do mercado total de proteínas em 2035. Isso foi ocasionado, em parte, pela pandemia de covid-19, que acelerou o interesse em produtos vegetais como uma alternativa saudável pelos consumidores que estão atentos às necessidades nutricionais de seu corpo. As fabricantes de alimentos e bebidas responderam, ampliando o leque de opções de produtos vegetais nutricionais, com o objetivo de atender à crescente demanda por produtos sustentáveis e seguros voltados à saúde e ao bem-estar. De acordo com a Outside VoiceSM, 50% dos consumidores brasileiros estão gerenciando seu consumo de carne.

3. Microbioma na raiz do bem-estar

O entendimento de que o microbioma é uma peça fundamental para o bem-estar tem crescido recentemente. Atualmente, os consumidores procuram alimentos, bebidas e suplementos que contribuam para a saúde do intestino e para o bem-estar geral. Eles relacionam a saúde intestinal à função imunológica, a aspectos do metabolismo e até ao humor, à acuidade mental e à sensação de estarem energizados. Segundo a Outside VoiceSM, 67% dos consumidores brasileiros relacionam saúde e bem-estar com uma forte imunidade / ser capaz de se recuperar de doenças rapidamente. Assim, sua abordagem à promoção de um intestino saudável tem evoluído de reativa (procura por alimentos para aliviar o desconforto) para proativa (soluções pré, pró e posbióticas personalizadas e customizadas), em um esforço para ter maior controle sobre sua saúde e bem-estar pessoal.

4. Fornecedores transparentes e clean label

A demanda por produtos clean label, considerados pelos consumidores ingredientes da cozinha de verdade, é a aposta da vez. O consumidor de agora busca alimentos e bebidas que contenham ingredientes conhecidos e que possam ajudar a promover um estilo de vida saudável e sustentável.  Isso ocasionou uma demanda por transparência em todo o ciclo de vida do produto, desde como é feito até como é embalado, e assim por diante, especialmente durante a pandemia de covid-19. A Outside VoiceSM constatou que 72% dos brasileiros estão mais atentos com os ingredientes listados em alimentos e bebidas que compram nos últimos 12 meses.

5. Humanização dos animais de estimação

Os animais de estimação são vistos como parte da família – uma tendência observada há algum tempo que se acelerou durante a pandemia. Isso se estende ao que os animais de estimação comem, sendo que muitos pais de animais transpõem seus gastos com compras e preferências para seus companheiros peludos.

Houve um aumento de 41% nas rações “100% naturais” lançadas em todo o mundo. Nessa mesma linha, a Outside VoiceSM também constatou que 16% dos brasileiros compraram alimentos para seus animais de estimação considerados luxuosos e 19% se referiram ao seu pet como um membro da família. Após serem desafiados a mudar o estilo de vida e, agora, a voltar ao trabalho, os consumidores continuarão monitorando o bem-estar geral de seus animais para garantir que estejam oferendo rações e suplementos voltados ao cuidado da mente e do corpo.

6. Ração animal correta e responsável

A interconexão da cadeia de suprimentos dos produtos para animais é a principal preocupação do consumidor de hoje. Há uma demanda crescente por soluções otimizadas que promovam a nutrição humana e animal de forma eficiente e ecologicamente correta para várias espécies de animais. Mais da metade dos consumidores brasileiros (52%) estão preocupados com o bem-estar animal. Isso fez com que as marcas começassem a fornecer documentação digital para explicar como o animal foi criado, principalmente em relação ao consumo de antibióticos e/ou hormônios de crescimento.

7. O bem da sustentabilidade

Os consumidores veem a sustentabilidade como um imperativo moral, pois a conectam com o que é certo e ético, com sua comunidade e com o meio ambiente. 45% dos consumidores brasileiros consideram a preservação do meio ambiente como a razão primária para comprar produtos sustentáveis. Isso desencadeou uma demanda por uma produção ética e por práticas de fornecimento sustentáveis – como a agricultura regenerativa e a produção de carbono negativo para proteger o suprimento de alimentos do futuro.

As marcas respondem assumindo posições sobre as questões ambientais, visando refletir seus compromissos com o aumento da sustentabilidade de seus sistemas de produção e distribuição.

8. Fontes renováveis e biossoluções avançadas

Os consumidores estão mais conscientes do impacto ambiental de seu consumo e do sistema alimentar em geral, com foco específico no uso de materiais finitos e resíduos físicos. Com 81% dos brasileiros preocupados com a poluição decorrente de plásticos, os consumidores conscientes estão focados na procura por alimentos, produtos de higiene pessoal e de limpeza que atendam às necessidades de suas famílias, do meio ambiente e de suas comunidades locais. E eles acreditam cada vez mais que as empresas devem assumir responsabilidade maior pela redução do lixo e do uso de energia, desde o desenvolvimento até o descarte.

Comments are closed.

Rodapé